Monthly Archives: junho 2013

II Feira de Ciências e Sementes Tradicionais dos Povos Indígenas de Roraima

Exposição de sementes e trabalhos da escola da comunidade Guariba (foto: Aldenir Wapixana)

Entre os dias 17 e 19 de junho aconteceu a II Feira de Ciências e Sementes Tradicionais dos Povos Indígenas de Roraima, realizada no Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol (CIFCRSS), na comunidade Barro. O evento foi resultado de uma parceria entre o Conselho Indígena de Roraima (CIR), Iniciativa Wazaka’ye – IW/INPA, Instituto Insikiran/UFRR, com apoio da FUNAI, Terres des Hommes/Suisse, CNPq, Diocese de Roraima e Instituto Socioambiental. Os quase 400 participantes do evento eram representantes de comunidades de cinco etnorregiões e 16 escolas indígenas de Roraima, bem como povos Guarani, Kaiowá e Terena do Mato Grosso do Sul, que participaram do evento através de uma visita à Roraima promovida pelo projeto GATI – Gestão Ambiental e Territorial Indígena (Funai/PNUD).

O evento contou com a apresentação de 9 trabalhos escolares sobre sementes e diversas exposições de sementes e mudas, além de danças e cantos tradicionais. Os trabalhos escolares foram apresentados também através de cartilhas, e duas delas foram selecionadas para serem editadas e publicadas pela IW. Em breve essas cartilhas serão disponibilizadas para escolas e comunidades indígenas, e espera-se que sejam ferramentas de educação ambiental, provocando também o diálogo sobre a adequação de materiais didáticos à realidade local.

Apresentação de trabalho da Escola Estadual Indígena (EEI) Bento Luis, comunidade São Miguel da Cachoeira. (foto: Aldenir Wapixana)

Plantio agroflorestal de banco vivo de variedades indígenas (foto: Aldenir Wapixana)

 

As atividades da feira foram encerradas com a elaboração de uma carta de apoio aos povos do Mato Grosso do Sul presentes na Feira, bem como uma visita aos setores de produção do CIFCRSS e com um plantio agroflorestal de mudas e sementes trazidas pelas comunidades, em uma área que servirá como “banco vivo” de variedades e espécies indígenas. Nessa área foram plantadas mais de 20 variedades de manivas, consorciadas com mudas de árvores e de frutas, mudas de tomate e berinjela, e com feijões usados como adubação verde e milho. A ideia é multiplicar essas variedades e poder compartilhá-las com as comunidades indígenas, fortalecendo o uso e manejo dos recursos tradicionais e a segurança alimentar das comunidades.

Essa é a terceira agrofloresta implantada no CIFCRSS, sendo manejada pelos estudantes por meio de práticas de manejo ecológico como capina seletiva, cobertura vegetal, adubação orgânica, podas e outras.

Algumas das variedades de maniva (macaxeira e mandioca) trazidas para a Feira (foto: Aldenir Wapixana)

Roça de pimenta com árvores fruteiras e madeireiras – comunidade Guariba, Amajari

Plantio de árvores em roça de pimentas

 

Desde 2012 a sra. Janete Coelho Rodrigues e grupo MulheresMil conduzem um projeto de plantio e beneficiamento de pimentas na comunidade Guariba. As pimentas são plantadas em uma roça, onde desde 2012 vem se experimentando plantar espécies frutíferas e madeireiras neste local, e no último dia 11 foi feita mais uma ação de plantio, com apoio de estudantes do curso Gestão Territorial Indígena/UFRR. Atualmente há cerca de 50 árvores, como pau-rainha, andiroba, angico, mogno, angelim, graviola, nim, carambola, caju, pitomba dentre outras. Enquanto a roça vai produzindo, as árvores irão crescendo, e futuramente quando o local se tornar capoeira, serão essas árvores que farão parte da capoeira, fornecendo frutas e madeiras, fazendo com que a área continue produtiva mesmo depois que deixar de ser “roça”.

Uma roça diferente na comunidade Campinarana (Serra da lua)

Essa experiência é iniciativa de três estudantes do curso Gestão Territorial Indígena/Insikiran/UFRR

 

A comunidade Campinarana (TI Tabalascada) preparou uma área de capoeira para plantar uma roça onde serão experimentadas algumas práticas agroecológicas. A área foi derrubada manualmente sem o uso do fogo, mantendo de pé árvores úteis, e desde o início do ano a área vem sendo preparada com a adição de materiais orgânicos. No dia 31 de maio foi realizado o plantio das espécies agrícolas (macaxeira, milho e jerimum) e, entre elas, plantou-se mudas de árvores fruteiras e madeireiras, cedidas pelo viveiro do Instituto Insikiran/UFRR. No mesmo local foram plantadas hortaliças e foi feito um canteiro medicinal. Ao longo de toda a área, plantou-se o feijão-guandu e feijão de porco, para adubação verde.

Esse trabalho é conduzido por três acadêmicas do curso de Gestão Territorial Indígena no Insikiran e por professores da ênfase Agroecologia desse curso, em parceria da comunidade com IW e Insikiran. As acadêmicas realizarão o manejo e acompanhamento do plantio, bem como a avaliação que irá comparar os diferentes insumos orgânicos utilizados na área.

Comunidade Aningal diversificando os plantios

Plantio de árvores nas entre-linhas do maracujá

 

Como fruto dos trabalhos em viveiro iniciados desde dezembro, a comunidade Aningal e EEI Inácio Mandulão tem nesse momento grande quantidade de mudas de espécies madeireiras e fruteiras em ponto de plantio. No dia 29 de maio, grande parte dessas mudas foram plantadas nas entrelinhas de um plantio de maracujá iniciado há aproximadamente duas semanas. Foram plantadas mudas de pau-rainha, angelim do cerrado, mogno, graviola, ata, nim, dentre outras, bem como o feijão-guandu e feijão de porco para adubação verde. Também foram plantados canteiros de plantas medicinais, cedidas pelo viveiro do Insituto Insikiran. O manejo da área será realizado pelos estudantes e professores da comunidade, e essas atividades são parte de aulas práticas.