Powered By:
Android Advice

II Feira de Ciências e Sementes Tradicionais dos Povos Indígenas de Roraima

Exposição de sementes e trabalhos da escola da comunidade Guariba (foto: Aldenir Wapixana)

Entre os dias 17 e 19 de junho aconteceu a II Feira de Ciências e Sementes Tradicionais dos Povos Indígenas de Roraima, realizada no Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol (CIFCRSS), na comunidade Barro. O evento foi resultado de uma parceria entre o Conselho Indígena de Roraima (CIR), Iniciativa Wazaka’ye – IW/INPA, Instituto Insikiran/UFRR, com apoio da FUNAI, Terres des Hommes/Suisse, CNPq, Diocese de Roraima e Instituto Socioambiental. Os quase 400 participantes do evento eram representantes de comunidades de cinco etnorregiões e 16 escolas indígenas de Roraima, bem como povos Guarani, Kaiowá e Terena do Mato Grosso do Sul, que participaram do evento através de uma visita à Roraima promovida pelo projeto GATI – Gestão Ambiental e Territorial Indígena (Funai/PNUD).

O evento contou com a apresentação de 9 trabalhos escolares sobre sementes e diversas exposições de sementes e mudas, além de danças e cantos tradicionais. Os trabalhos escolares foram apresentados também através de cartilhas, e duas delas foram selecionadas para serem editadas e publicadas pela IW. Em breve essas cartilhas serão disponibilizadas para escolas e comunidades indígenas, e espera-se que sejam ferramentas de educação ambiental, provocando também o diálogo sobre a adequação de materiais didáticos à realidade local.

Apresentação de trabalho da Escola Estadual Indígena (EEI) Bento Luis, comunidade São Miguel da Cachoeira. (foto: Aldenir Wapixana)

Plantio agroflorestal de banco vivo de variedades indígenas (foto: Aldenir Wapixana)

 

As atividades da feira foram encerradas com a elaboração de uma carta de apoio aos povos do Mato Grosso do Sul presentes na Feira, bem como uma visita aos setores de produção do CIFCRSS e com um plantio agroflorestal de mudas e sementes trazidas pelas comunidades, em uma área que servirá como “banco vivo” de variedades e espécies indígenas. Nessa área foram plantadas mais de 20 variedades de manivas, consorciadas com mudas de árvores e de frutas, mudas de tomate e berinjela, e com feijões usados como adubação verde e milho. A ideia é multiplicar essas variedades e poder compartilhá-las com as comunidades indígenas, fortalecendo o uso e manejo dos recursos tradicionais e a segurança alimentar das comunidades.

Essa é a terceira agrofloresta implantada no CIFCRSS, sendo manejada pelos estudantes por meio de práticas de manejo ecológico como capina seletiva, cobertura vegetal, adubação orgânica, podas e outras.

Algumas das variedades de maniva (macaxeira e mandioca) trazidas para a Feira (foto: Aldenir Wapixana)

2 Responses to II Feira de Ciências e Sementes Tradicionais dos Povos Indígenas de Roraima

  • Érica Joyce Rodrigues Cavalcante says:

    Olá, estive na II Feira de sementes e fiquei encantada com a iniciativa pois, são atividades como estas que desmentem os políticos descompromissados e sem escrúpulos que andam divulgando mentiras sobre a situação dos Povos indígenas, em nome do agronegócio e do grande capital. Considero de extrema importância o que ocorreu no Centro de Formação da Raposa Serra do Sol pois está em consonância com a autodeterminação e segurança alimentar dos Povos indígenas. Parabenizo a todos que participaram ! Sou muito orgulhosa de ser roraimense e de saber que a luta e resistência dos Povos originários desta Terra está cada vez mais forte e organizada. Contem comigo. A luta é de todos nós, é por justiça e dignidade. Sigamos adiante, firmes e decididos. Abraços sinceros: Érica Joyce Rodrigues Cavalcante (professora de geografia da Rede Estadual de Ensino)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *