Powered By:
Android Advice

PARA ACESSAR O REGULAMENTO E PROGRAMAÇÃO, CLIQUE AQUI.

Regulamento e Programação da IV Feira de Sementes, Clique Abaixo:

IV FEIRA SEMENTES – PROGRAMACAO E REGULAMENTO.

Fechamento do curso de agrofloresta no Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol (CIFCRSS)

Aulas práticas de implantação de agrofloresta no CIFCRSS

Em 2016 mais uma vez vem se desenvolvendo no CIFCRSS o curso de agroflorestas com a assessora agroflorestal Jessica Pedreira. As quatro turmas do CIFCRSS, totalizando cerca de 40 estudantes, aprofundaram seus conhecimentos nas aulas sobre ciclagem de nutrientes, estudos de consórcios, sucessão natural, adubação verde, matéria orgânica, estratos da vegetação, e principalmente nas aulas práticas. No setor da agrofloresta foram instalados novos canteiros com milho, banana, macaxeira, abobrinha, feijão, bacaba, dentre outras plantas, que após um mês já começam a dar seus primeiros frutos, com destaque para a grande produção de abobrinha!

Os estudantes estão realizando o manejo e acompanhamento das plantas e da produção através de atividades em aulas práticas.

O curso aconteceu no período de outubro de 2015 a julho de 2016 em três módulos, com apoio do Programa de Pequenos Projetos Ecosociais/ISPN.

Estudando os cartazes produzidos

Curso de agrofloresta na Raposa Serra do Sol

Curso de agroflorestas no CIFCRSS

No mês de outubro o CIFCRSS – Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol recebeu a engenheira florestal Jessica Livio, da Simbiose Agroflorestal, para iniciar o curso de Agroflorestas com a turma do primeiro ano.

Jessica já é conhecida do CIFCRSS desde 2012, quando a IW – Iniciativa Wazaka’ye iniciou a parceria com o CIFCRSS para realização da primeira Feira de Sementes. Desde então, além do apoio na realização das feiras, a IW vem realizando cursos nos temas de sementes tradicionais e sistemas agroflorestais.

Esse ano a etapa inicial do curso se iniciou em dezembro e irá continuar ao longo do ano de 2016. Foram passados os conteúdos teóricos iniciais, e a prática ainda não foi realizada porque o setor de agroflorestas do CIFCRSS está temporariamente interditado, até que se realizem os ajustes necessários na irrigação e cercagem da área.

Acompanhamento de atividades na terra indígena Aningal

No dia 24 de julho/2015 foi realizada uma visita às comunidades Aningal e Vida Nova (TI Aningal) para acompanhamento das atividades realizadas, que nesse momento contam com a parceria do projeto ARPA do ICM-Bio e CIR.  Conforme havia ficado combinado anteriormente, ambas comunidades já construíram o viveiro e aguardam apenas a visita do técnico para ativação da bomba.

Na comunidade Aningal, também foram feitas visitas à áreas de plantios agroflorestais em duas roças realizados em meados de 2013 e 2014, respectivamente. Foram plantadas mudas de espécies madeireiras produzidas no viveiro antigo da comunidade, como pau-rainha, mogno, pau-ferro, araraúba, angelim do cerrado e angico.

A área implantada em 2013 atualmente não é mais utilizada como roça, e tem a presença de árvores da capoeira junto com as 34 árvores madeireiras plantadas, que atingem mais de 6 metros.

Na área plantada em 2014 o desenvolvimento das árvores também está muito bem, com 38 plantas que atingem até mais de 6 metros, junto às plantas da roça como milho, macaxeira, maxixe e melancia.

Há também um plantio de madeiras em uma área de lavrado ao lado do viveiro antigo, onde devido à seca muitas plantas morreram, mas algumas resistem e apresentam um crescimento razoável.

A comunidade está muito satisfeita com os resultados e quer ampliar os plantios e produção de mudas, agora que conta com um viveiro maior e mais funcional.

Aprovado projeto para realização da quarta edição da Feira de Sementes

Com muita alegria soubemos da aprovação do projeto enviado pelo CIR – Conselho Indígena de Roraima em parceria com o INPA/In. Wazaka’ye ao Programa de Pequenos Projetos Ecossociais (PPP-Ecos) para apoio à realização da quarta edição da Feira de Sementes dos Povos Indígenas de Roraima. O recurso de aproximadamente 100 mil reais possibilitará a realização da Feira no Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol-CIFCRSS e também várias atividades complementares como a publicação de materiais didáticos, pequenas reformas no CIFCRSS e a realização de cursos na área de agroecologia.

PPP-ECOS foi criado para apoiar projetos de organizações não-governamentais e de base comunitária que desenvolvam ações de impactos ambientais globais positivos, combinados com o uso sustentável da biodiversidade, e tem como coordenação técnico-administrativa o Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN).  Além do projeto do CIR, o 22º edital do PPP-Ecos contemplou outros 33 projetos que beneficiarão comunidades indígenas, quilombolas, agricultores familiares e assentados de reforma agrária em 17 estados.

Comunidades Aningal e Vida Nova se organizando para construção dos viveiros

Na última semana de março foi realizada nas comunidades Aningal e Vida Nova, município de Amajari-RR, a oficina de planejamento dos viveiros que serão construídos através do projeto ARPA, parceria entre ICM-Bio (Instituto Chico Mendes de Biodiversidade), CIR (Conselho Indígena de Roraima) e INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia). Tal projeto foi concebido a partir das demandas levantadas por essas comunidades quando realizaram seu PGTA (Plano de Gestão Territorial e Ambiental).

O INPA, através da Iniciativa Wazaka’ye, já realiza atividades na região há alguns anos, inclusive na comunidade Aningal já existe um viveiro e plantios agroflorestais desenvolvidos através desses trabalhos. O projeto ARPA possibilitará construir um novo viveiro, maior e mais moderno, para que a comunidade possa ampliar e melhorar sua produção de mudas. E ainda possibilitará a construção de um viveiro também na comunidade Vida Nova.

Como as comunidades já possuem experiência em trabalhos com viveiro, a oficina começou com uma atividade de avaliação dos trabalhos anteriores, através da dinâmica conhecida como “FOFA” (F-Fortalezas, O-Oportunidades, F-Fraquezas, A-Ameaças). Os participantes se reuniram em grupo para discutir esses aspectos e em seguida apresentaram os resultados da discussão, e depois todo o grupo conversou junto sobre cada item levantado. Em seguida a técnica do INPA realizou uma apresentação sobre viveiros, e finalizando a oficina, foram visitadas as áreas onde serão construídos os viveiros para planejamento e listagem dos materiais que ainda faltam. Nas próximas semanas as comunidades começarão a construção, e em seguida será feita a instalação da irrigação, possibilitando o início das semeaduras.

Cartilhas indígenas valorizando o conhecimento tradicional

Estudantes do CIFCRSS já iniciaram a produção das próximas cartilhas

Mais duas cartilhas produzidas por autores indígenas foram lançadas na última semana, durante a reunião do Conselho Diretivo do CIFCRSS (Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol) na sede do CIR (Conselho Indígena de Roraima).

A publicação das cartilhas foi uma das premiações recebidas pelos trabalhos que se destacaram na III Feira de Ciências e Sementes dos Povos Indígenas de Roraima, que ocorreu em maio desse ano no CIFCRSS. As cartilhas, entituladas “Variedades de manivas e seus derivados” e “Sementes e mudas indígenas”, produzidas pela comunidade São Miguel da Cachoeira e por estudantes do Instituto Insikiran, respectivamente, foram publicadas com financiamento do Fundo Socioambiental CASA e Terre des Hommes, que atuam em parceria com o CIR. O material será distribuído em escolas e comunidades indígenas para educação ambiental, e a versão digital está disponível AQUI.

A parceria com o Fundo Socioambiental CASA possibilitará ainda a publicação de mais três cartilhas, que serão produzidas por estudantes do CIFCRSS e já começaram a ser elaboradas, como parte dos cursos de “Sementes Tradicionais” e “Sistemas agroflorestais”, ministrados em parceria com o INPA/Iniciativa Wazaka’ye.

Café orgânico na Terra Indígena Mangueira

Caminhando para o cafezal

Nos dias 11 e 12 de novembro aconteceu na Terra Indígena Mangueira (região Taiano) aprimeira oficina de planejamento do projeto “Kuinan – Café orgânico na TI Magueira”, realizado pelo ICM-Bio e CIR, e que contará com a parceria do INPA / Iniciativa Wazaka’ye nas atividades de viveiros e produção de mudas. Nesta oficina foram apresentadas informações sobre viveiros e sementes, e a comunidade iniciou o planejamento para atingir seus objetivos, dentre eles a produção de 10.000 mudas de café, e também outras mudas de espécies frutíferas e madeireiras, em número menor. Também foi realizada uma visita ao tradicional cafezal da comunidade, onde se pode discutir sobre formas de melhoramento da qualidade e produção dos pés de café. A comunidade Mangueira é conhecida há muitos anos por ser a única comunidade indígena de Roraima a produzir e comercializar café, sendo que a produção é agroecológica, e há muito potencial de ampliação. A próxima colheita ocorre no final desse ano, quando acontecerá o I Festejo de Café na comunidade. A construção do viveiro e a produção das primeiras mudas acontecerá em janeiro de 2015.

Repercussões positivas da Feira de Sementes

Reunião na comunidade indígena Maturuca

Um grupo do CIFCRSS – Centro Indígena de Formação e Cultura Raposa Serra do Sol visitou no início do mês a comunidade indígena Maturuca, quando foi realizada uma reunião junto à escola da comunidade para o planejamento de um plantio de pimenta e implantação de um viveiro de mudas. Essa atividade é uma das repercussões da III feira de ciências e sementes realizada em maio, quando a comunidade Maturuca foi premiada por levar a maior diversidade de sementes, e com isso foi contemplada com o apoio técnico do CIFCRSS no desenvolvimento dessas atividades. Após a reunião, a equipe visitou a área onde se pretende construir o viveiro, e realizar o plantio agroflorestal. Uma nova visita foi agendada para outubro, quando já serão iniciados os trabalhos práticos. O acompanhamento do CIFCRSS se dará através dos estudantes do quarto ano, que antes de se formar, passam por um estágio no qual prestam assistência técnica nas comunidades, e a Iniciativa Wazaka’ye também contribuirá com apoio técnico.

Além dessa atividade, está sendo planejada uma viagem de intercâmbio para conhecer outras experiências com sementes tradicionais desenvolvidas no Brasil, que contemplará estudantes do CIFCRSS e um membro da comunidade Maturuca, também como forma de premiação pela grande diversidade de sementes levada na Feira.